ÁCIDO HIPÚRICO

Código: HIPUR

Nome: ÁCIDO HIPÚRICO

Material: urina do final da jornada de trabalho

Sinônimo: Tolueno

Volume: 50.0 mL

Método: Cromatografia Líquida de alto desempenho

Volume Laboratorial: 50.0 mL

Rotina: Diária

Resultado em: 48h

Temp.: Sob refrigeração

Coleta: Coletar 50.0 mL de urina após jornada de trabalho. Refrigerar a amostra.

Interpretação: Uso: Indicador biológico de exposição ao tolueno. Interpretação: O ácido hipúrico e o ácido metil hipúrico são os principais metabólitos do tolueno e xileno, respectivamente. Processos de exposição ocupacional a estes solventes orgânicos podem ser monitorados pelo seguimento da excreção destes compostos na urina. Embora o ácido hipúrico seja marcador de exposição ao tolueno, outros compostos como o estireno, o etilbenzeno e mesmo alguns conservantes alimentares podem estar associados ao aumento de seus níveis urinários. Como é prontamente excretado na urina, os níveis séricos de ácido hipúrico podem ser utilizados como bons marcadores de função renal.

A dosagem de ácido hipúrico e metil hipúrico é realizada por cromatografia líquida de alta pressão (HPLC), em amostra urinária de fim de turno de trabalho após, pelo menos, dois dias de trabalho consecutivos, conservada em refrigerador e enviada ao laboratório para análise. O tolueno e/ou o xileno podem ser encontrados na maioria dos solventes utilizados na indústria, especialmente em colas e combustíveis. Trabalhadores expostos a estas substâncias podem desenvolver sinais e sintomas compatíveis com intoxicação. Sua absorção pode ocorrer por inalação, ingestão ou absorção dérmica. Normalmente os sintomas desaparecem em alguns dias após o afastamento do indivíduo da fonte contaminante, especialmente nos casos de toxicidade aguda. O diagnóstico é realizado juntando dados clínicos, epidemiológicos e laboratoriais, com o uso dos marcadores urinários e eventualmente séricos.

Referência: VR: Até 1,5 g/g Creatinina
IBMP*: Até 2,5 g/g Creatinina
*IBMP: Indíce Biológico Máximo Permitido (NR-7).

Voltar